sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

Estão nuas as minhas sebes

Apesar de este ano ter feito alguns esforços no sentido de tentar reverter o problema que começou a atacar as minhas escalónias, a verdade é que esses esforços foram infrutíferos e o problema mantém-se. Chega o outono, e as folhas começam a cair em força, e depois no inverno ficam só com os paus à vista. E se o objetivo de uma sebe é manter a privacidade durante todo o ano, a verdade é que assim só o consigo numa pequena parte do ano. Há umas semanas atrás deixei-lhe uma valente poda, e reduzi a menos de metade a largura da sebe, e com esta poda elas vão ter de se revitalizar com os novos rebentos. Mas isso não irá resolver o problema de posteriormente, no próximo outono, voltarem a ficar sem folhas. De qualquer das formas o cenário na sebe da frente da casa é este:


E já decidi, vou substituir todas a sebe de escalónias por heras. Um dia até me posso arrepender das heras, mas neste momento parece-me uma ótima solução. Quase só vejo vantagens. Não precisam manutenção, de ser aparadas vária vezes ao longo do ano, são muito resistentes, e mantêm sempre o mesmo aspeto verde, e além disso não ocupam qualquer espaço em largura, que qualquer outro arbusto ou cipreste necessita. E depois o lado económico, pois posso fazer quantas estacas quiser, meter na terra e já está. A única desvantagem que encontro é mesmo o tempo que é necessário até que elas trepem até metro e meio de altura, mas também qualquer outra opção para sebe também levará o seu tempo até que oculte totalmente a vista. 

O que eu vou fazer não é arrancar as sebes todas de uma vez. Até porque se fosse para fazer isso, não tinha tido o imenso trabalho que tive em podar todas as escalonias à volta de casa. A minha ideia, até para não ficar sem nada a dar alguma privacidade durante vários anos, é fazer a coisa de forma faseada. Já comecei por plantar heras em alguns intervalos das escalónias, e onde elas estão demasiado juntas, vou arrancá-las e plantar mais heras. Conforme as heras forem crescendo, depois então vou arrancando as restantes escalónias. 

Na frente da casa vou plantar a hera que tem a folha mais recortada e só de uma cor para ter um efeito uniforme. Do lado do monte talvez vá intercalando com a hera com contorno amarelo, até porque tem um crescimento mais rápido. 


Como se vê nesta imagem, aproveito um espaço em aberto para a plantar, quando a hera crescer e alargar mais, tratarei de arrancar as escalónias, algo que não é assim muito complicado pois não têm raízes muito vigorosas, quando comparado por exemplo com as ciprestes.  

Há que ser paciente pois as heras demoram a crescer, mas de qualquer das formas acho que compensa a espera. Em quatro anos consegue-se uma coisa como esta, e não é por ser minha, mas acho que resultou muito bem.

Sem comentários:

Enviar um comentário