domingo, 2 de novembro de 2014

Oliveiras do Convento de Cristo

Fez há poucos dias um ano que estive em Tomar, no Convento de Cristo e na Mata Nacional dos Sete Montes. Como é habitual, recolho sempre algumas sementes que apanho do chão e como também é hábito, costumo enterrá-las e depois na maior parte das vezes nunca mais me lembro delas! 

Mas as sementes de oliveira que recolhi, germinaram e fizeram questão de me lembrar delas, pois encontrei uma mini oliveira com uns vinte centímetros de altura, e encontrei uma outra com uns três ou quatro centímetros noutra zona do jardim. 

A que me chamou a atenção, nasceu mesmo junto ao muro do passeio, onde logicamente a enterrei. 




Quando comentei com os meus pais, estes mostraram-se incrédulos. Mostraram-se surpreendidos como podia eu ter oliveiras a nascer de semente, quando eles, que cultivaram campos que tinham oliveiras, e muita azeitona que por vezes apodrecia e ficava no chão, e os terrenos eram depois lavrados para cultivo e nunca viram oliveiras a nascer de semente. 

Pois é, mas eu não fiz nada de especial, aliás nunca faço, desses truques para acelerar a germinação. Limito-me apenas a enterrar as sementes e a esperar que a natureza faça a sua magia. E a não ser que tenha trazido outras sementes, e que já não me lembre (o que é perfeitamente possível) acho que tenho em casa duas oliveiras, filhas daquelas oliveiras centenárias do Convento de Cristo.

Transplantei esta oliveira maiorzinha para um garrafão de lixívia, improvisando um vaso e verei como se desenvolve. 


Entretanto ontem coloquei as quatro sementes nauseabundas de ginkgo bilova num vaso identificado para o efeito. Isto nem pareceu meu, se calhar deveria era ter enterrado uma ou duas! Logo veremos  quando, e se terei filhas da "maior ginkgo bilova de Portugal". 

3 comentários:

  1. No meu quintal nascem oliveira com frequência. Pensava que era natural mas afinal não é assim tão fácil.
    Costumam nascer debaixo da nogueira e dos citrinos. è normal? também me aparecem outras árvores tais como azevinhos e nogueiras.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Viva,
      Talvez possa depender do tipo de solo. As oliveiras em Portugal dão-se melhor no centro o sul... mas de qualquer das formas estas sementes que enterrei germinaram facilmente, mas lá está, enterrei-as, não ficaram só caídas no chão. Os meus pais estranharam bastante, e na verdade vejo oliveiras já adultas por aqui (que foram certamente plantadas) mas nunca vi pequenas oliveiras a nascer, e tem de haver uma explicação para isso....
      Também me nascem muitas coisas debaixo das árvores. Por um lado porque o solo está cultivado e remexido e as sementes germinarão mais facilmente, depois, porque muita passarada come algumas bagas debaixo das árvores, como no caso do azevinho, e depois todos os anos nascem-me azevinhos às centenas!

      Eliminar
    2. eu por acaso até sou do norte. Minho mais precisamente.Por vezes pequenos microclimas ajudam.

      Eliminar