domingo, 5 de abril de 2020

Porque é as Yuccas em Vaso Ficam Amarelas?


Esta semana alguém da vizinhança deitou fora esta yucca. Não satisfeito, ainda a desmembrou, cortado a meio e junto à base. As minhas suspeitas são óbvias. Tê-lo-ão feito porque a planta estava feia, amarelada e com as pontas das folhas com manchas e pontas secas. 

E porque é que isto acontece? 
É fácil, acontece porque a planta estará sem o que comer e com o vaso todo tomados pelas raízes. Eu tenho cá em casa uma yucca a começar a ficar com o mesmo aspeto, e vou tirá-la de propósito do vaso para se ver como é que estarão as raízes. A planta é esta, dois troncos num só vaso e como se pode ver as folhas já perderam aquele verde escuro característico e começam a ficar amarelas. 

E não é preciso ser adivinho para perceber o que é que se está passar dentro do vaso. O cenário é este:


As raízes tomaram completamente conta da terra e têm o formato do vaso. As raízes já não podem mais alimentar a planta. As yuccas são das plantas mais resistentes que conheço, mas, eventualmente a planta no futuro irá acabar por morrer! E isto é um erro comum. As pessoas colocam as plantas em vasos, mas, seja o vaso do tamanho que for, no futuro será sempre necessário ver como estão as raízes da planta. Será preciso tirar a planta para fora do vaso e colocar num vaso maior, ou eventualmente, se der, cortar e soltar parte das raízes, acrescentar terra e reenvasar novamente. Portanto nunca deitem fora yuccas só porque estão com mau aspeto. As plantas dão sinais, basta estar atento para perceber mais ou menos o que elas estão a precisar. E uma yucca amarela é só sinal de fome!

Quanto à yucca que está em dois bocados que trouxe do lixo, vão para vasos e ficam a crescer, aliás, como todas as dezenas de yuccas que tenho em casa. Nunca comprei uma yucca, trago-as todas do lixo. A maioria delas quando depois ficam grandes e bonitas vendo ou troco.


sábado, 4 de abril de 2020

Um Carvalho no Relvado

Ontem, quando tinha começado a cortar a relva dum espaço mais pequeno e que, como se vê, não tem tido a manutenção devida, reparo numas folhitas a furar a graminha. Vou ver mais de perto e dou de caras com um carvalho! Ainda se pode ver a bolota de onde germinou! Então, tratei de o tirar dali e coloquei num pequeno vaso. Logo vejo o que lhe vou fazer, mas no relvado é que não podia ficar!

O aparecimento deste carvalho ali, pode ser explicado por alguma bolota que tenha vindo no vento, proveniente de um carvalho que tem a uns cinquenta metros, que ali caiu e germinou. Mas isso para mim parece-me pouco provável. Não sei até que ponto não terá sido algum gaio, dos muitos que andam aqui em volta da casa, e que levou uma bolota no bico e a deixou cair. 



O Lagarto que Vive no Vaso de Rhipsalis

Sempre que regava este vaso, de imediato saltava de lá um lagarto que se escondia por entre um enorme arbusto de sargaço em frente. Comecei então a investigar e, de facto, esta sardonisca gordinha faz deste vaso de rhipsalis a sua casa! O que se calhar fará todo o sentido, pois fica bem protegida por entre todos aqueles picos, além do óbvio disfarce!



quarta-feira, 1 de abril de 2020

Sorte na Beira da Estrada

A meio da tarde tinha ido levar a minha mãe e no regresso, venho muito devagar por uma rua cá da aldeia e eis se não quando, no combro da estrada de paralelos, vi vários bocados grandes de cato, de grande tamanho ali deixados, e por ali já estaria há muito tempo porque na zona do corte já estava muito seco. Encostei o carro, abri a mala e carreguei só os três os três maiores. Agora é meter em vasos e deixar enraizar.



O Homem Abandona - A Natureza Toma Conta (22)

Uma casa para venda sem ninguém lá  a viver. Uma pequena semente de azevinho caída arranjou forma de germinar numa fenda do cimento. Cresceu, e já está com mais de um metro de altura.