domingo, 13 de janeiro de 2019

Corvo-marinho na Estátua da Maria da Fonte



Estava a passear junto à ria de Aveio, a chegar junto ao lago com a estátua da Maria da Fonte, quando ao longe vejo um corvo marinho em cima da estátua, a espraiar as longas asas de costas para o sol. De imediato saco da minha pequena compacta que tinha no bolso e disparo sobre ele. Fui-me aproximando mas os bichos (estavam outros dois em baixo) não se intimidaram minimamente.

Identificar um corvo-marinho-de-faces-brancas (Phalacrocorax carbo) não tem engano. É uma ave aquática, relativamente grande, quase toda preta que, ou está a fazer voos rasantes sobre a água e parece um enorme bombardeiro, ou então está estacionado em terra, com as suas longas asas abertas a apanhar sol. 






quarta-feira, 2 de janeiro de 2019

O Homem Abandona - A Natureza Toma Conta (18)

Descia de carro a avenida central de Aveiro e comecei a reparar numa casa antiga, muito bonita com azulejos nas paredes, mas com o andar de cima já com paredes cimentadas. O que me chamou ainda mais a atenção foi a quantidade de fetos que cresceu no telhado!, e não é por acaso pois este lado é o que está virado a norte e não apanha sol. 




terça-feira, 1 de janeiro de 2019

O Homem Abandona - A Natureza Toma Conta (17)

O dia amanheceu frio. Caiu uma das primeiras geadas do Inverno. E ainda de manhã cedo, em viagem para sul, passava por uma localidade que se chama Corga do Lobão. À face da estrada uma das várias casas que por aquelas bandas se vêem ao abandono. O dia estava frio, e ainda se podiam ver bocados de geada por entre o mato que cerca a casa, mas bonito, radioso. Encostei o carro e sem perder muito tempo, tirei algumas fotografias.








sábado, 29 de dezembro de 2018

Jardim Vertical Natural na Rua Mouzinho da Silveira


Fala-se agora muito em jardins verticais nas cidades e no aproveitamento dos pequenos espaços. Mas por estes dias, no Porto, deparei-me com um jardim vertical na cidade, mas natural! 
Na rua Mouzinho da Silveira, junto à Fonte Monumental e mesmo por cima do chafariz (de 1920) um imenso verde de vegetação espontânea cobre a parede granítica. E eu acredito que não seja coincidência que toda aquela vegetação esteja por cima de um chafariz.

Mas não sei o que terá acontecido pois há uns anos, podemos ver no Google Maps, que não estava assim. Tinha algum verde sim, mas não como agora com esta verdadeira cortina verde. 


O que é certo é estamos aqui na presença de um jardim vertical natural e que nem foi preciso ninguém plantá-lo! Logicamente que entretanto alguém acabará por limpar aquilo, ainda que eu até lhe ache graça. As fotografias não estão com grande qualidade (era um dia de chuva) mas quando lá passar de novo depois substituo-as por outras, melhores. 





quarta-feira, 26 de dezembro de 2018

A Natureza Detesta o Vazio

A frase é de Pascal.

Tudo é precioso. E como se pode ver, nem aqueles pequeninos espaços entre o pavimento são desperdiçados pela Natureza, que os ocupa com um lindíssimo musgo verde. E muitas vezes a beleza está em coisas tão singelas como o chão que pisamos.