quinta-feira, 30 de agosto de 2018

Ecovia do Vez até Sistelo


No último fim-de-semana fiz quase 300Km de autocarro para caminhar apenas sete até Sistelo, em Arcos de Valdevez. Pode-se dizer que foi um pequeno aperitivo para quem sabe poder desvendar ainda mais noutra oportunidade. 

Há muito que vou ouvindo falar dos trilhos de Sistelo, ao longo do rio Vez, apelidado como o "pequeno Tibete português" e a sua paisagem até foi recentemente classificado de monumento nacional. 

O percurso que fizemos é bastante acessível (apesar de ter ouvido algumas queixas no final) e andamos pela Ecovia de Arcos de Valdevez, maioritariamente à sombra de carvalhos, amieiros, castanheiros, aveleiras, e tendo sempre por companhia, do lado direito, as águas do rio Vez.



























Gostei, o trilho faz-se muito bem, o trilho é muito agradável, mas a paisagem envolvente, ao longe, nas  serras em volta é um pouco desoladora, cheia de eucaliptos, e tudo ardido dos incêndios. Mas quem sabe volte de novo a este trilho, com mais calma. 

sexta-feira, 24 de agosto de 2018

A Força de uma Teia de Aranha

Enquanto regava o jardim, pouco antes de sair para o trabalho, e graças a um dia de muito nevoeiro, observava as teias numa piracanta (que trouxe do Convento de Cristo) e que, com a humidade ficaram visíveis. Além de ficar maravilhado com o verdadeiro trabalho de ourives, não pude também deixar de reparar como a aranha, com a força da teia, conseguiu vergar um grande rebento e levá-lo para onde quis! 




quinta-feira, 23 de agosto de 2018

Plumas: 10 Meses Depois do Incêndio

Dois meses depois dos grandes incêndios de 14 e 15 de Outubro do ano passado, mostrei aqui como as plumas sobrevivem facilmente mesmo sendo queimadas e já se podia ver como já estavam a rebentar nos rebentos. 

Hoje, ao passar pelo mesmo sítio chamou-me a atenção por já estarem em floração. Em meros dez meses a plantar ardeu, e já aí está como se nada fosse. Daí que, para erradicar esta invasora de nada adianta queimá-la.



A Morte de Braços Abertos

Há poucos minutos, começava aos poucos a entardecer, e no rosmaninho uma aranha-caranguejo-das-flores, num mimetismo perfeito, confundindo-se com as flores, como que de braços abertos para apanhar um qualquer incauto inseto.