sexta-feira, 24 de março de 2017

Caçador de Toupeiras

Ainda parece que foi ontem que o pequeno gato nasceu no monte e ainda nem passou um ano e já caça tudo o que vir mexer. Mas foi logo no início do blogue que escrevi sobre como há estudos recentes que apontam o gato doméstico, como a maior ameaça da biodiversidade selvagem porque dizimam uma grande percentagem de aves e mamíferos nativos em volta das casas das pessoas. Porque os gatos não se limitam a caçar ratos, eles basicamente caçam tudo o que virem mexer! Ainda assim, parece-me que os meus pais ficam bem mais contentes que o pequeno gato vá apanhando umas toupeiras, que estas lhes dêem cabo da horta!



Apesar de tudo, eu confesso que tenho alguma simpatia por aquele animalzinho peludo que passa a vida a escavar túneis debaixo da terra, mas pronto, é a lei da vida. 

Pote: dos Morangos para as Suculentas

Foi no verão de 2014 que estive por Barcelos a visitar o Jardim das Barrocas. E Barcelos não é um concelho só conhecido pela lenda do seu galo, é também conhecido pela sua olaria. E então aproveitando uma feira que se realizava no centro da cidade, trouxe para casa algumas peças em barro, nomeadamente taças, e um pote grande, conhecido por ser destinado a colocar morangos. 

E na verdade eu tive o pote com morangos, e ainda comi alguns, mas depois acabei por desistir da ideia, porque é um espaço um pouco confinado, e também porque os meus pais acabaram por plantar um bom bocado de terreno deles, e então achei que não justificava o trabalho, para comer meia dúzia de morangos. 

Só que, certa vez a pegar no pote de barro, que com a terra estava pesado, acabei por lhe partir um pouco da beira superior... e até que me lembrei de o usar e decorar colocando plantas suculentas! Cortei então vários rebentos de uma suculenta que tinha e espetei nas várias bocas do pote. E agora, passado pouco tempo já está quase todo coberto, com exceção de um espaço que está quase sem nada, e que irei lá colocar mais uns rebentos. 


Pote outrora com morangos
O pote antes esteve no relvado, com morangos, em cima de uma tampa de saneamento. Entretanto decidi colocá-lo em cima da pedra que serve de base para o antigo arado (de família) que decora um outro pequeno espaço relvado, onde também já esteve um vaso original que criei: o vaso-bola-de-futebol! Relembrando:


Entretanto o arado está na companhia do pote, e é só esperar que a planta o cubra totalmente, pois acho que vai resultar muito bem. 

quinta-feira, 23 de março de 2017

Europa Prepara-se Para Banir Pesticidas

Notícia exclusiva que se pode ler no site do The Guardian, diz que a Europa (Comissão Europeia) está pronta para a proibição total de pesticidas prejudiciais à abelha.


"A quantidade de evidências científicas sobre a toxicidade desses inseticidas é tão alta que não há como esses produtos químicos devam permanecer no mercado", disse Martin Dermine, da Pesticide Action Network Europe, que divulgou e compartilhou a informação com o Guardian . "A PAN Europa vai lutar com seus parceiros para obter apoio à proposta da maioria dos Estados membros". Uma petição para proibir os neonicotinóides , da Avaaz, reuniu 4,4 milhões de assinaturas.

Ler a notícia completa aqui.

Alternativas aos Herbicidas



Segunda Estante para Bonsai

Com o recente transplante de alguns pré-bonsais, tive de adquirir uma segunda estante em PVC para os colocar, pois tenho agora dez pequeninas árvores. 


Apesar de ter comprado uma estante exatamente igual à que tinha, na verdade não. Esta já tem um reforço necessário a meio nas prateleira, pois apesar de garantirem 25Kg, na verdade elas deformavam-se muito facilmente, daí eu ter colocado uma tábua na prateira de cima, onde tinha os vasos mais pesados. Infelizmente não acautelaram as medidas dos encaixes que permitiam fixar uma estante à outra, e assim sendo os encaixes fornecidos não serviram para nada. De qualquer forma isso também não era necessário, pois para o efeito que é, nem sequer é necessário fixar as estantes (como recomendado) à parede. 

Preço da Estante: 13€

terça-feira, 21 de março de 2017

Ida ao Horto: Mudas de Buxus para Bonsai

Domingo passado  dia do Pai, fui almoçar fora com os meus pais, e depois, na vinda para casa, acabei sugerindo uma coisa que muitos portugueses têm por hábito fazer: fazer uma visita ao horto! E uma visita a um horto pode ser sempre um perigo! Portanto, todo o cuidado é pouco! 
E é um perigo porque há sempre coisas muito bonitas por todo o lado! Não esquecer, que os hortos, compram as plantas e vendem-nas sempre na época em que estão em flor, em quando potenciam a venda. Mais, muitas vezes até se pintam as plantas, ou colocam outros artifícios para serem vendidas mais facilmente, como no caso das plantas suculentas e catos, em que até flores secas lhes espetam!

E tal como num hipermercado, em que se as pessoas não se acautelam, enchem o carrinho de coisas que nem precisam e depois só se apercebem quando vão pagar a conta num horto o problema, além da questão financeira, é outro. É comprar algo que está muito bonito, mas depois muitas vezes não se saber quais as condições que determinada planta precisa, ou quanto a planta vai crescer, ou quais as pragas a que pode estar suscetível. Portanto a dica é, saber o que se está a comprar e não comprar unicamente por impulso.

Nesta minha visita não programada, o gasto foi pequeno. Uma nota de 5€ ainda deu para receber uns cêntimos de troco. Comprei dois arbustos, um cotoneaster de variedade que ainda não tenho, e comprei um pequenino vasinho de  Buxus sempervirens


O buxus é um arbusto muito conhecido por ser usado em sebes, bordaduras e topiaria em jardins formais. Mas este vasinho que eu comprei, tinha um outro intuito: bonsai. O buxus é também  muito conhecido por ser usado em bonsai, por além de ser uma espécie que proporciona bonitos exemplares, ser também fácil de manter.

O vasinho que trouxe custou 1,90€ e era composto por quatro estacas enraizadas. Escolhi o vaso que me pareceu melhor (nos hortos também temos de saber escolher as melhores plantas) e lá o trouxe para casa, já com ideia de o multiplicar por quatro. 




Para fazermos os nossos bonsais podemos propagar as plantas por semente, por estaquia, podemos recolhe-las na natureza ou de qualquer sítio ao abandono, ou então passar num horto, ou vivieiro (que tem a vantagem de ainda ser mais barato, e trazer algum material para se trabalhar. Plantas maiores já dão para, em pouco tempo, trabalhá-las e colocá-las num vasos de bonsai. Aqui o intuito é diferente, é deixar os buxus crescer, engrossar o tronco (o buxus é de crescimento muito lente - e então depois  - quem sabe? - se não virei a ter um bonsai de buxus feito por mim? Veremos!

Bonsai: Transplante Romãzeira

A minha senda dos transplante dos pré-bonsais (que já se deveria ter iniciado há algumas semanas) terminou por agora, com o transplante de uma romãzeira que propaguei da árvore que tenho no jardim.



Inicialmente a pequena romãzeira esteve num garrafão de água que improvisei como vaso, mas depois, percebendo que as raízes se estavam a alongar, e até para que o tronco pudesse engrossar mais um pouco, retirei o fundo, e coloquei, com plástico e tudo, dentro dum vaso de 20L, como se pode ver na imagem seguinte, já sem o vaso exterior.


Mais uma vez transplantei a pequena árvore para um vaso decorativo, que não um vaso de bonsai, porque não os tenho do tamanho que precisaria e teria de comprar, e de momento essa não é a prioridade. A seu tempo depois tentarei comprar, novos ou até usados, porque os vasos de bonsai são um pouco caros, e para quem, como eu, está sempre a inventar, a coisa começa a não ficar barata

O substrato também improvisei com o que tinha à mão, mas nós mesmos podemos tentar fazê-lo, misturando diversas coisas como composto orgânico, terra preta, areão ou argila, mas indo sempre de encontro ao que a árvore prefere.  Quem tem um dois bonsais, se calhar não justifica, mas quem gosta de fazer muitos projetos como eu, então pode-se poupar algum dinheiro. E com esta romãzeira, tenho agora nove "bonsais" improvisados por mim, e certamente não ficarei por aqui!