sábado, 12 de novembro de 2016

Parque Alta Vila

Do município de Águeda, já anteriormente escrevi aquando da caminhada pela Pateira de Fementelos, uma das maiores lagoas naturais da Penílsula Ibérica. E da lagoa ao centro de Águeda são cerca de dez minutos de carro. 

A pequenina e colorida cidade (desde 1985) muito virada para a arte de rua, com um roteiro e tudo, está encostada ao rio que lhe dá nome, tem pouco mais de dez mil habitantes e, segundo o folheto, para fazermos o "Trilho do Águeda" que vai até ao "Souto do Rio"não precisamos mais do que duas horas e meia. E podemos muito facilmente percorrer a pé todo o centro urbano sem grande dificuldade e em demorarmos muito tempo.

Um dos locais que eu quis visitar, por me parecer que é um antigo espaço muito aprazível, com árvores centenárias e de antigos jardins de cariz romântico foi o Parque Alta Vila que faz parte do pequeno percurso PR6.1


Mas este parque é um parque que ainda não o é verdadeiramente. 
Quem ali chega, facilmente percebe que aquele espaço foi sítio de gente abastada, que ali quis criar um ambiente romântico, com diferentes jardins e estruturas decorativas de belo efeito, ao jeito dos jardins ingleses.

O espaço ainda tem uma zona murada e entradas a fazer lembrar um pequeno castelo.




Mas ainda não é um verdadeiro parque, primeiro porque percebe-se que para já está abandonado à sua sorte. Abandonado desde logo pelos sucessivos autarcas, e na pesquisa que fiz fiquei a saber que querem requalificá-lo, mas querem primeiro ouvir as pessoas e não desatar a "plantar árvores" e isso até me parece bem.



Contudo a minha primeira impressão foi oposta. Não precisam desatar a plantar árvores, poderiam começar por simplesmente tentar salvar as que já ali estão há muitas décadas, e refiro-me às palmeiras que estão quase todas mortas graças ao escaravelho, e se não se despacharam não restará nenhuma viva. E não é que eu seja grande defensor das palmeiras, que não sou, mas já que ali estavam, acho que deveriam tentar ser mantidas, porque árvores com muitos anos são verdadeiros monumentos vivos.





Li também que houve um grande temporal no início do ano de 2013 e que muitas árvores do parque caíram, mas curiosamente as declarações que vi dos políticos são do mesmo ano. E três anos é muito tempo, até porque os mandatos são de quatro. Não quero ser injusto, não faço ideia do que terá sido feito ou não, li que recuperaram a casa, mas não sei se se recuperou alguma coisa dos jardins e parece-me que não.

Mas o que sei, até por aquilo que vou vendo por todo o lado, é que talvez preservar o património natural não dê muitos votos, pois é raro que se faça algo a este respeito, e acho que é pena que as pessoas que vivem nas cidades não exijam e defendam mais espaços verdes e que se plantem muitas mais árvores e não ocupar tudo que é terra com betão e prédios. 


Ironicamente também li, num outro blogue, que os habitantes de Águeda estão divorciados deste espaço. Parece que ninguém o frequenta. E isso eu mesmo pude atestar. Num domingo à tarde vi um casal, e alguém que passou de bicicleta. De resto mais ninguém. Mas não é caso único, pois como tenho vindo a escrever sobre outros belíssimos espaços que visito, esses vão estando muitas vezes abandonados, enquanto que, à mesma hora, por certo que os centros comerciais (que deveriam estar fechados ao Domingo) devem estar a abarrotar de gente. Preferências muito questionáveis. 





E o que me apetece mesmo dizer é que "Deus dá nozes a quem não tem dentes". 

O Parque Alta Vila tem enormes potencialidades. Desde logo é um espaço generoso, são mais de três hectares, e não é preciso que inventem muito, nem têm de desatar a plantar árvores. Bastaria limpar as infestantes que invadem o espaço, refazer os canteiros de buxo, no fundo unicamente preservar e restaurar o que foi feito pelo seu proprietário, Eduardo Caldeira, na segunda metade do século XIX. 
E que depois de preservado que as pessoas dele possam usufruir.





































































































Espero que este parque possa ser verdadeiramente recuperado e os habitantes de Águeda o valorizem, pois quem dera a muito boa gente, como eu por exemplo, ter ao pé de casa, um local como este para usufruir. 

4 comentários:

  1. Cuanta magia desprende este parque, no lo conocía y es maravilloso. Muchas gracias por mostrarlo. Un abrazo desd Plasntukis

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado Raúl, esperemos que o possam aproveitar devidamente.

      Eliminar
  2. Respostas
    1. Boa tarde Alteza,

      As fotografias foi o que se pôde arranjar porque fiquei sem bateria na máquina toda "pro" e não fosse esta velha e pequena compacta não havia fotos para ninguém! mas o sítio é muito bonito é.

      Eliminar