domingo, 15 de julho de 2018

Criar a Família numa Folha de Hera

Andava a podar a sebe de heras, que frequentemente tenho de aparar porque crescem bem rápido e, de repente, após ter cortado uns rebentos compridos, deixam à vista uma folha dobrada que me chamou a atenção. De imediato percebi que estava ocupada por algum habitante que dela fez a sua casa. E na verdade tratava-se de uma aranha com a sua prole, que ali se abrigou. 



Flores Silvestres no Jardim: Madressilva-das-boticas

Por entre rosmaninho, sargaço e estevas floresce uma madressilva-das-boticas:

Madressilva-das-boticas (Lonicera periclymenum L.)

sexta-feira, 13 de julho de 2018

Este Blogue Faz Hoje 5 Anos!

Este blogue faz hoje cinco anos. Foi no dia 13 de Julho de 2013 que tudo começou. E até podia ter começado três anos antes, mas fruto da indecisão em relação ao nome e muito também pelo receio de me expor e nada de interessante ter para mostrar que o tempo foi passando e só comecei em 2013. Mas entretanto já passaram cinco anos e foram mais de 500 novas entradas, o que dá uma média razoável de 100 por ano.

E se no início a ideia era ir dando conta das minhas aventuras com as plantas, aos poucos fui introduzindo novos temas, como os jardins históricos ou as caminhadas por exemplo que achei que se integravam no espírito no blogue. 

Gostei destes cinco anos a bucolicular anonimamente e posso dizer que fiquei  agradado naquilo que o blogue se foi tornando. Já agora, por mera curiosidade (e vá lá saber-se porquê!), as cinco entradas mais lidas nestes cinco anos foram:




Eucalipto: Resistência e disseminação após incêndio







Podar as Estrelícias







As ervas e o relvado







Relvado: A importância da escarificação








Hoje é dia da floresta autóctone






Veremos daqui para a frente!

domingo, 8 de julho de 2018

Ambientador Natural com Cheiro a Caril

Um pequeno arbusto de erva-do-caril (Helychrisum italicum) caía para cima do passeio junto da entrada da garagem e precisava ser cortado. Então, apanhei alguns restos da poda, cortei as bases, e fiz um pequeno raminho e pendurei no carro. Costumo fazê-lo frequentemente. Num minuto faz-se um ambientador natural, totalmente gratuito e mais interessante ainda, não faz mal à saúde.




Frenesi de Abelhas na Escalónia Branca


De manhã, enquanto regava os muitos vasos dispersos pelo jardim, deparei-me com imensas abelhas, num verdadeiro frenesi, em volta dos cachos de flores da Escalónia branca (Escallonia illinita). Agora que aos poucos os cachos de flores da buddleja vão secando, os insetos centram as suas atenções na escalónia que, diga-se, está muito bonita!



Por Que é Que Há tantos Pavões no Palácio de Cristal?

Porque todos os anos eles se propagam!





# Jardins do Palácio de Cristal

domingo, 1 de julho de 2018

Vídeo dos Jardins a Concurso Ponte de Lima 2018



Um pequeno vídeo que fiz dos onze jardins a concurso no Festival Internacional de Jardins de Ponte de Lima.



Plantei-te no Meu Jardim

A primeira flor...

Gosto muito de romãzeiras. Cada vez mais. Além da sua beleza e simbolismo, gosto muito das mudanças cromáticas ao longo do ano. As suas folhas, que nascem vermelhas e só depois ficam verdes; dos pequenos botões das flores e da explosão de vermelho quando abrem; à beleza que é depois ver o arbusto despido com os seus enormes frutos que, generosamente se abrem para os pássaros comerem as suas sementes. 

As primeiras folhas vermelhas...
Plantei a primeira romãzeira em 2009 e foi preciso esperar, pacientemente, até 2016 para dar frutos pela primeira vez. E passei a gostar mais dela, pois aquele sabor é quase inebriante. E desta árvore já propaguei várias, quer extraindo pequenos rebentos da mãe, quer propagando por semente. 

E já tinha vindo a pensar nisso. Tive que arrancar uma enorme clementina que tinha porque estava a morrer. E naquele espaço de terreno que outrora a envolvia e alimentava estava agora sem relva, despido. E eu já tinha vindo a pesar nisso. Em plantar-te lá, naquele espaço disponível. 

À esquerda a clementina que morreu
Estavam a passar dois anos desde o dia em que me contactaste pela primeira vez. Achei que seria uma boa data te plantar porque, nem de propósito, o final de Novembro é a altura do ano mais propícia em Portugal para plantarmos árvores (ao contrário daquela coisa do 21 de Março que aprendemos todos na escola).

No Inverno o jardim estava uma lástima. A relva completamente esbranquiçada, mais parecia que tudo ia morrer devido à quantidade de geada que caiu e ainda na sequência da profunda escarificação que fiz em Outubro. Tudo estava feio. Mas eu sabia que na Primavera tudo haveria de recuperar, ainda que, eu tivesse que dar uma pequena ajuda. 

O Inverno que deixou o relvado num estado lastimável
Coloquei uma círculo de pedras em volta para delimitar, e plantei relva no restante espaço para tudo ficar uniforme. E aos poucos tudo recomeçou a ficar verde de novo. 







Em Fevereiro começaram a brotar as primeiras folhinhas, naquele vermelho vivo e dois meses depois surgiriam as primeiras flores, que vão caindo e outras vão nascendo. Agora é esperar pelos primeiros frutos, e para isso talvez ainda seja preciso esperar mais alguns anos, mas só esperando para ver o que acontece. 

Na viagem da vida vamos conhecemos diferentes pessoas. Não raras vezes elas seguem caminhos diferentes dos nossos. As plantas e as árvores não. Só fazem viajar a sua prole. Criam raízes e fixam-se adaptando-se toda a vida ao mesmo local. Por isso decidi plantar-te no meu jardim. Esta romãzeira não vai a lado nenhum, ficará sempre ali a fazer-me companhia. 

Sim, se quiseres, agora que não estás plantei-te no meu jardim.


sexta-feira, 29 de junho de 2018

Festival Internacional Jardins Ponte de Lima 2018

Este ano não foi exceção e mais uma vez passei no Festival de Internacional de Jardins de Ponte de Lima. O tema desta 14ª edição é "O clima nos jardins" e os jardins estarão em exposição até ao final de Outubro. O valor da entrada também se mantém no simbólico 1€. 



Estranhamente no site da organização, que costuma ser sempre extremamente detalhado com a descrição dos jardins a concurso, bem como com a descrição das plantas exibidas, desta feita não está atualizado e nada tem ainda sobre a edição de 2018. E como não fotografei as descrições dos autores dos jardins (achando desnecessário achando que as encontraria como é habitual no site) aqui ficam unicamente os títulos, mas mais importante, algumas fotografias dos jardins a concurso este ano. E desta feita foi muito fácil votar num meu jardim preferido!

Antropia no Jardim - Portugal 


Jardim de Microclimas - Holanda 





Círculo Verde - Itália





Controle Climático - Argentina





Estações que Prendem - Argentina






Atitudes (In)Conscientes - Portugal




O Espelho do Pensamento - Inglaterra


Utopia Ecológica - Portugal 




O Museu do Passado - Austria





Criado pela Natureza - Alemanha




Um Passeio pelo Clima - Espanha








E o vosso jardim preferido qual é?


# Festival 2017