sábado, 20 de outubro de 2018

Aranha-de-Cruz na Yucca

A meio da tarde, em casa dos meus pais, a minha mãe, olhando para uma grande teia de aranha radial, pergunta-me: 
- Já viste aquele trabalho?
E mal percebi que era uma aranha-de-cruz logo tratei de a ir fotografar! 




quarta-feira, 17 de outubro de 2018

Guias Árvores de Portugal e Europa, Insetos, Aranhas e Repéis


Há algum tempo que gostava de arranjar um bom guia sobre árvores, hoje surgiu-me a oportunidade de conseguir este "Árvores de Portugal e da Europa" a um excelente preço, tendo em conta que novo custa 25€.

Descrição:

Guia de campo que permite identificar as principais espécies europeias de árvores e de arbustos de maior porte que podem ser encontrados em Portugal e na Europa, bem como de algumas espécies ornamentais exóticas.
O texto está adaptado a Portugal, com indicação das espécies que podem ser vistas no nosso país.
São apresentadas mais de 400 espécies, das quais 335 são ilustradas a cores.
São ilustradas, em particular, diversas características sazonais e permanentes das árvores e arbustos, permitindo a sua identificação ao longo de todo o ano.
Contém uma chave de identificação para as famílias botânicas.
Guia traduzido e adaptado para Portugal pelo Prof. Luís G. Pereira, Prof. José Pissarra, Dr. Rubim Almeida da Silva e Dr. Fernando Tavares (Departamento de Botânica da Universidade do Porto).

Aproveitei e, já que a pessoa tinha outro de Insetos, Aranha e Serpentes e comprei também:




domingo, 14 de outubro de 2018

Os Eucaliptos Um Ano Depois dos Incêndios de Outubro de 2017



Passa este fim-de-semana um ano dos grandes incêndios de Outubro de 2017. Na segunda-feira seguinte, quando me dirigia para trabalho, depois de atravessar a barragem de Crestuma-Lever o cenário era completamente desolador. Tudo preto, carbonizado, um intenso cheiro a queimado no ar. Da terra ainda saía muito fumo das raízes das árvores e ainda se vislumbravam algumas chamas. No Google Maps ainda podemos ver como era o arvoredo da zona em 2015, enormes eucaliptos por todo o lado:



Tudo ardeu, tudo ficou preto. Qual será o cenário um ano depois? É isso que vos vou mostrar. Mesmo depois desta pequena ponte, que na imagem tem as barras de proteção pintadas de amarelo, o cenário é milhares de eucaliptos que germinaram das sementes. São aos milhares, e alguns já têm meio metro de altura!








Dos eucaliptos adultos que arderam e dos troncos que entretanto foram cortados, nasceram, com grande vigor novos rebentos com metros de altura:







E é este problema que temos com os eucaliptos, a contínua perpetuação da pobreza. A destruição dos solos, dos recursos hídricos, a diminuição da fauna e a flora, e os constantes prejuízos para as pessoas e para a economia. Tudo em prol de alguns, muito poucos, que enriquecem à custa da pobreza de todos os outros. 



segunda-feira, 8 de outubro de 2018

Plantar um Jardim que Tem o Poder de Mudar o Mundo



5 Maneiras de tornares o teu jardim regenerativo e o Clima Agradece:

1. Abandonar os químicos. Se não os queres no teu corpo, então não os ponhas na comida

2. Mantém o solo verde. Qualquer planta é melhor que nenhuma planta. 

3. Encoraja a biodiversidade. 

4. Planta uma horta. Consumires alimentos da tua horta significa diminuir a pegada ecológica de alimentos que viajam pelo mundo inteiro até ao teu hipermercado. 

5. Compostagem.

"Climate Victory Gardens" foi inspirado nos "Victory Gardens" plantados durante a primeira e a segunda guerras mundiais. Em 1944, quase 20 milhões de hortas produziam oito milhões de toneladas de alimentos, equivalendo a mais de 40% das frutas e vegetais frescos consumidos nos EUA na época. Essas hortas alimentavam os americanos em casa, para disponibilizar mais alimentos cultivados na agricultura para as tropas no exterior.

Adaptado daqui.

domingo, 7 de outubro de 2018

O Abraço Florido


Com a cidade do Porto em fundo, vemos em primeiro plano um sobreiro, que por algum motivo morreu e uma trepadeira invasora de cores azul púrpura e rosa (Ipomoea indica) que aproveitou a oportunidade de trepar por ele acima. Junto ao mesmo sobreiro vemos ainda uma outra outra invasora, as muito conhecidas canas (Arundo donax).





sábado, 29 de setembro de 2018

À Sombra do Labirinto

Antes de me preparar para deitar no ervado do Parque São Roque vislumbrei um outro habitante do parque, este já devidamente deitado mas à sombra do labirinto!





quinta-feira, 30 de agosto de 2018

Ecovia do Vez até Sistelo


No último fim-de-semana fiz quase 300Km de autocarro para caminhar apenas sete até Sistelo, em Arcos de Valdevez. Pode-se dizer que foi um pequeno aperitivo para quem sabe poder desvendar ainda mais noutra oportunidade. 

Há muito que vou ouvindo falar dos trilhos de Sistelo, ao longo do rio Vez, apelidado como o "pequeno Tibete português" e a sua paisagem até foi recentemente classificado de monumento nacional. 

O percurso que fizemos é bastante acessível (apesar de ter ouvido algumas queixas no final) e andamos pela Ecovia de Arcos de Valdevez, maioritariamente à sombra de carvalhos, amieiros, castanheiros, aveleiras, e tendo sempre por companhia, do lado direito, as águas do rio Vez.



























Gostei, o trilho faz-se muito bem, o trilho é muito agradável, mas a paisagem envolvente, ao longe, nas  serras em volta é um pouco desoladora, cheia de eucaliptos, e tudo ardido dos incêndios. Mas quem sabe volte de novo a este trilho, com mais calma. 

sexta-feira, 24 de agosto de 2018

A Força de uma Teia de Aranha

Enquanto regava o jardim, pouco antes de sair para o trabalho, e graças a um dia de muito nevoeiro, observava as teias numa piracanta (que trouxe do Convento de Cristo) e que, com a humidade ficaram visíveis. Além de ficar maravilhado com o verdadeiro trabalho de ourives, não pude também deixar de reparar como a aranha, com a força da teia, conseguiu vergar um grande rebento e levá-lo para onde quis!