sábado, 31 de março de 2018

Transformar Terreno a Mato num Prado

Todos os anos tenho de limpar o terreno, que não é meu, que já nem sei de quem é, mas que está junto à minha casa. É um terreno de mato e silvas, com pinheiros e eucaliptos. Mesmo não sendo meu, já deitei umas quantas árvores abaixo porque existe uma lei há muitos anos, que diz que os matos têm de estar limpos à volta das casas bem como pinheiros-bravos e eucaliptos. Infelizmente no nosso país é preciso que aconteça uma desgraça para que se faça cumprir a lei. E as pessoas não podem deixar os matos entrar por sua casa adentro e depois culpar um governo, seja ele de que cor for, pela sua incúria.


Então, vou cortando os matos com uma roçadora e o terreno fica limpo. Mas a par disso fui fazendo outra coisa. Todas as ervas infestantes que me nascem no jardim, junto e depois vou espalhá-las lá no terreno. E muitas dessas ervas são muito resistentes, basta serem pousadas na terra que as suas raízes se vão fixar. E aos poucos, as ervas vão tomando conta do terreno, impedindo que os matos se propaguem, e que é bem melhor do que ter tojo, que ainda por cima picam!, e outros matos que crescem vigorosamente e são bem mais difíceis para depois cortar. 

Vou escolhendo zonas que ainda não estão ervadas e ali vou deitando as ervas que depois enraiam:


Entretanto a cabra do vizinho, o corta-relva natural, vai aparando o ervado e vai limitando o crescimento das plantas.


Corvo-Marinho


Quase todos os dias, de manhã ao ir para o trabalho, passo por eles, a voar sobre o rio Douro.

O corvo-marinho-de-faces-brancas é das aves aquáticas mais fáceis de identificar por um leigo como eu. É grande, toda preta, e faz-me sempre lembrar um bombardeiro quando arranca lentamente e voa muito rente à água. Podemos vê-los geralmente em grupos, nas partes secas, muitas vezes com as asas abertas a secarem-se ao sol. É uma ave migratória, que passa o Inverno em Portugal, sendo por isso só observada entre Setembro e Abril.

terça-feira, 27 de março de 2018

Podas Assassinas em Penafiel

Já aqui no blogue tenho divulgado casos de verdadeiras podas abusivas, mas isto a que assisti este fim-de-semana junto ao Santuário de Nossa Senhora da Piedade e Santos Passos (conhecido como Igreja do Sameiro) na Avenida Gaspar Baltar, em Penafiel, é demasiado chocante.

Veja-se como estão as tílias:




Podemos observar pelas imagens do Google Maps como estavam as copas das árvores em 2014:



Sinceramente continuo a não perceber como é que se autoriza este tipo de crimes. Como é que os responsáveis, se não percebem nada do assunto (da poda) não se informam junto de quem saiba. Isto é uma completa aberração. 

domingo, 25 de março de 2018

Poupa no Jardim das Virtudes

Já por diversas vezes vi poupas (Upupa epops) até ao lado de minha casa, mas nunca tinha tido oportunidade de fotografar  nenhuma. Este fim-de-semana, em pleno Jardim das Virtudes pude pela primeira vez fotografar uma poupa. Infelizmente só tinha comigo uma pequena máquina compacta, pelo que as fotografias não estão nada especiais, no entanto dá para ver o padrão preto e branco das penas, e a sua crista tão característica na cabeça. Na primeira foto podemos vê-la lado a lado com um melro:




O Homem Abandona, A Natureza toma Conta (12)

A alguns metros da Ginkgo das Virtudes (a maior de Portugal) que ainda se encontra despedia apesar de já se verem pequenos novos rebentos e, a dois passos da Torre dos Clérigos, as ruínas de edifício tomado por arbustos e as heras cobrem as paredes e já invadem o telhado vizinho:


A Ginkgo das Virtudes

Preto e Amarelo

Melro, no Parque da Cidade de Penafiel:


Os Gatos da Pousada do Freixo

Onde quer que existam pessoas e a possibilidade de se conseguir alimento sem grande dificuldade é onde os gatos se vão fixar. Antes de uma pequena caminhada no Passadiço de Valbom passei pelas traseiras da Pousada e Palácio do Freixo. E por ali deambulavam inúmero gatos. Alguns ofereciam-se mesmo para uma festinha. Pegar ao colo é que já foi demasiado e levei dois arranhões!







quinta-feira, 22 de março de 2018

Árvore Europeia 2018

É portuguesa a árvore campeã europeia 2018! 
Esta era a 8ª edição do concurso europeu, em que estavam a concurso treze países mas foi a primeira vez que Portugal participou, e logo na primeira vez ganhou. Infelizmente as árvores por cá não têm o destaque do desporto ou dos festivaizinhos da canção e, de todos os jornais diários portugueses apenas o Diário de Notícias colocou a notícia na capa, e o Público dedicou-lhe uma página inteira sobre o assunto como se pode ver abaixo:


Trata-se de um sobreiro, conhecido como o "Sobreiro Assobiador" com 234 anos, com trinta metros de diâmetro de copa e dezassete metros de altura. Só é pena, digo eu, não conservar a casca que é tão caraterísitica desta árvore. E, segundo a reportagem do Público, já lhe extraíram a cortiça vinte vezes. Está situado em Águas de Moura (Palmela), e está inscrito no Livro dos Recordes do Guiness como "o maior sobreiro do mundo". Em segundo lugar ficaram os ulmeiros ancestrais de Cabeza Buey (Espanha) e em terceiro lugar um carvalho da Rússia.

2º classificado: Sete Ulmeiros de Espanha (450 anos)
3º classificado: Carvalho "Ansião das Florestas de Belgorod" (188 anos)

Podem ler a reportagem do Público aqui.

Tree Of The Year 2018

sábado, 17 de março de 2018

Exposição de Orquídeas e Bonsai na EXPONOR

"A 9ª Exposição Internacional de Orquídeas do Porto, marco incontornável da orquidofilia europeia, traz, uma vez mais, um rico painel de expositores/vendedores estrangeiros, da América-do-sul à Ásia, passando pela Europa, enriquecendo, sempre, a possibilidade de aquisição de espécimes e variedades distintas. Contará, também, com a sólida presença de uma dezena de vendedores/expositores nacionais, tão habituados ao nosso exigente público. A Associação Portuguesa de Orquidofilia, a pensar nos seus visitantes, não se fica por aqui. Focando-se sempre na inovação, na inclusão e diversidade, contamos enriquecer a nossa exposição com projetos paralelos que acrescentem valor aos nossos ideais. Assim, temos preparadas duas outras exposições, integradas, sobre bonsais e sobre camélias. (Fonte)




Até às 19h de amanhã na EXPONOR. A entrada custa 3€. 

domingo, 11 de março de 2018

PR3 - Rota das Amendoeiras

Depois de ter começado o ano com uma caminhada em Foz-do-Sousa, e em Fevereiro ter feito o Trilho da Floresta em Ovar, ontem desloquei-me com o grupo habitual a São João da Pesqueira para fazermos o percurso PR3 - Rota das Amendoeiras. 

Apesar do muito mau tempo que se fez sentir na sexta-feira e madrugada de sábado, a chuva resolveu dar umas tréguas e foi possível fazermos os cerca de 12,5Km do percurso só com uns pequenos aguaceiros. 

As amendoeiras são árvores de folha caduca e que florescem entre meados de Fevereiro e Março, antes do aparecimento das folhas. Mas apesar de já estarmos quase em meados de Março ainda se vê muita árvore sem flor. 

Já a chegar ao centro da vila, ainda visitei o pequeno jardim público (não me apercebi que havia um outro jardim formal junto à câmara municipal), antes do almoço confecionado em antigas panelas de ferro fundido (produzidas por uma fábrica, a CIF de Gondomar) almoço esse que foi cortesia da Câmara Municipal de São João da Pesqueira, inserido no programa da Festa dos Saberes e Sabores que termina hoje , domingo, dia 11 de Março. 
















Folheto PR3 Amendoeiras em Flor

quinta-feira, 1 de março de 2018

Há Ninhos de Vespa Asiática no Prado do Repouso

Infelizmente tenho visto muita vespa asiática por aqui na região onde vivo, mas até hoje nunca tinha visto os seus ninhos, apenas em fotografias da net. Mas na minha visita ao Prado do Repouso para fotografar as magnólias fiquei espantado ao vê-los ao vivo!

Quando saí questionei o segurança que me disse que já tinha reportado a situação à câmara municipal, como tal os ninhos ainda por ali continuam por mero desleixo. 

Nestas primeiras fotografias o ninho estava no alto de uma amargoseira:





Na imagem abaixo podemos ver o ninho num plátano :